Rede dos Conselhos de Medicina
CRM-PB fiscaliza Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa, e verifica superlotação Imprimir E-mail

edsonramalho-fiscalizacaO Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou o Hospital General Edson Ramalho, em João Pessoa, no dia 8 de novembro, e constatou diversas inconformidades, como a persistência da sobrecarga no setor de pronto atendimento. Durante a vistoria foi observado que há pacientes excedendo a capacidade instalada, faltam medicamentos, materiais nos consultórios médicos e um deles encontra-se em condições inadequadas de atendimento, com infiltração e goteiras. A sala destinada a pacientes aguardando decisão clínica também apresenta mofo e infiltração.

A equipe do CRM-PB observou que há pacientes internados nas dependências do serviço de urgência e emergência e nos corredores, havendo dificuldade para regulação dos pacientes que necessitam de transferência, particularmente nas especialidades de cardiologia, neurologia e oncologia. A Unidade de Curta Permanência (UCP), que possui capacidade para dez leitos e cinco macas extras, estava com 22 pacientes internados na ocasião da vistoria.

Na sala dos pacientes aguardando decisão clínica havia sete presentes, acomodados em cadeiras. Um aguardava há 48 horas e outro a 72 horas. A sala vermelha, com quatro leitos, estava com todos ocupados. Tais problemas já haviam sido observados em vistoria anterior realizada em junho deste ano.

A direção técnica do hospital informou que já detalhou medidas a serem adotadas, em ofício, em setembro deste ano, como a implementação de um consultório de atendimento rápido e a contratação de mais quatro profissionais para reforçar o atendimento. O documento sugere ainda que, na ausência de leitos disponíveis nas unidades clínicas, os pacientes permaneçam na UCR por um período máximo de 72 horas. No entanto, as medidas ainda não foram implementadas.

O relatório do CRM-PB com as inconformidades encontradas na fiscalização do dia 8 de novembro foi encaminhado ao diretor técnico do hospital, à Secretaria Estadual de Saúde e ao Ministério Público da Paraíba

Última atualização em Qua, 17 de Novembro de 2021 20:58
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner